EcoWeb+EcoAction

Rede Municipal de Ensino – Campo Bom RS

H₂O Campo Bom

O Município de Campo Bom está situado na Região Metropolitana de Porto Alegre, RS. E faz parte do trecho médio da Bacia Sinos. O Rio dos Sinos passa por 14 município ( Caraá, Santo Antônio da Patrulha, Taquara Parobé, Araricá, Sapiranga, Campo Bom, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Portão, Sapucaia do sul, Esteio, Nova santa Rita e Canoas. A Bacia Hidrográfica do Rio dos Sinos é formada por 32 municípios que ocupam uma área de 3.800km², onde vivem aproximadamente, 1.500.000 pessoas. Campo Bom localiza-se no trecho inferior do Rio dos Sinos e tem aproximadamente 60.074 habitantes em uma área de 61 km².

Mapa feito em parceria do projeto Dourado de Campo Bom e comitesinos

Mapa feito em parceria do projeto Dourado de Campo Bom e comitesinos

 No link você encontra os níveis diários do Rio dos Sinos

https://docs.google.com/spreadsheet/pub?key=0AkXSgrDXAQJjdG1JZVFDcEpLQU5JY2dLTWZBcW9jVEE&gid=9

Conhecendo os corpos Hídricos de Campo Bom

Os alunos observam os diferentes ecossistemas urbanos. Na semana passada descobrimos um pequeno córrego próximo a EMEF 25 de Julho com água limpa e muitos lambaris. Observamos que muitas pessoas jogam lixo neste local. Os alunos decidiram que éra necessário colocar uma placa informativa.

Alunos no arroio Schmidt

Alunos no arroio Schmidt

A turma do 5º ano que esta estudando ecossistemas também foi conhecer o córrego que tem sapos desovando e muitos peixes.

Turma do 5º ano

Turma do 5º ano

Hoje nós vimos uma sanga com muitos girinos, peixes pequenos, três sapos adultos dois acasalando com muitos fios de ovos gelatinosos que possivelmente daria alguns milhares de girinos vimos também, outros ovos de sapos ,mas estes ponharam numa espuma branca e também muito lixo, vimos algumas teias de aranha que possivelmente eram de aranhas grandes. Jonas Vargas Kuhn

Anfíbios se reproduzindo

Anfíbios se reproduzindo

Hoje nós fomos numa sanga que desse da CORSAN e nós vimos os ovos de sapo que eram espumas e outros eram de corrente cheio de ovos de sapo e as espumas eram de rã ( eu acho) e tinha no caminho um sapo morto todo estrepado e com o veneno dele que era tipo um negocio azul e roxo e tinha um monte de furinhos que sai o veneno. Gustavo Fraga, 9 anos.

Ovos de duas espécies diferentes de  anfibios e girinos.

Ovos de duas espécies diferentes de anfíbios e girinos.

Hoje nós fomos ao córrego de água próximo a nossa escola com a turma 11. A gente foi observar os animas que se encontram lá como sapinhos e peixinhos,e também, havia ovinhos de sapos e  girinos. Maria Borghetti

Conhecer para preservar

Conhecer para preservar

Campo Bom e seus Arroios

Campo Bom possui seis arroios: Goethel, Pampa ( Feltes ou Peri com parte em Campo Bom e parte em Novo Hamburgo), Leão, Schmidt, Quatro Colônias e Weidler. Os arroios Weidler e Quatro Colônias são afluentes do Arroio Schmidt. Os arroios Goethel, Leão, Pampa e Schmidt  afluentes do Rio dos Sinos.

Arroio Schmidt

O Arroio Schmidt é o principal Arroio de Campo Bom. Principal porque nasce antes da RS 239, passa pelos bairros Aurora, Centro e 25 de Julho onde deságua no Rio dos Sinos.

Alunos na margem do arroio Schmidt

Alunos na margem do arroio Schmidt

Com uma extensão aproximada de 7 000m, o Arroio Schmidt conta com dois afluentes o Arroio Weidler e Arroio Quatro Colônias. O arroio Schmidt é um arroio comprometido em toda a sua extensão, o índice de qualidade de água é ruim.

A tabela dos dados foi feita pela Secretaria do Meio Ambiente em 2012.
A tabela informa o nível do oxigênio do Rio dos Sinos e do Arroio Schmidt e também outras características de ambos os lugares.
Para a sobrevivência de animais no Arroio Schmidt e no Rio dos Sinos o nível do oxigênio precisa ser acima de 2 mg/l. Maísa e Maria Eduarda, 12 anos

Dados de 2012

Dados coletados pela Secretaria de Meio Ambiente em 2012

o Arroio Schmidt conta com dois afluentes o Arroio Weidler e Arroio Quatro Colônias. É um arroio com vários impactos ambientais como esgoto doméstico e industrial, erosão das margens, assoreamento, falta de mata ciliar, lixo no leito e nas margens. No trecho inferior, os danos ambientais são bem mais visíveis. Em um trecho, temos algumas construções praticamente dentro do arroio, a vegetação ciliar é escassa, observamos a crescente erosão de suas margens e o assoreamento do leito.

Construção na margem do arroio Schmidt

Construção na margem do arroio Schmidt

Temos um grande problema com o lixo colocado dentro do arroio ou nas margens, muitas pessoas aproveitam para vir, durante à noite,  depositar seus resíduos. É possível encontrar restos de construções, sofás, colchões, roupas, calçados, fogões e resíduos industriais, sendo que muitos desses se deixassem em locais adequados, o caminhão da coleta de lixo recolheria.

No trecho inferior do arroio foi feito o desassoreamento do para evitar a inundação de algumas casas, na época  de enchente o banhado enche e o Rio dos Sinos impede que água  desça. Já foi plantio de  árvores nativas pelos alunos da E.M.E.F. 25 de Julho, parceria com moradores ribeirinhos  e também pelo Projeto Cílios dos Sinos ocorreu o plantio de grama e árvores para evitar o a erosão das margens e o assoreamento.

Na foto podemos observar o assoreamento do arroio e a retirada manual de areia.

Foto do Arroio Schmidt trecho inferior

Foto do Arroio Schmidt trecho inferior

Devemos cuidar dos nossos arroios, temos que economizar mais água, usar menos xampu, menos detergente. Imagina se não existissem os arroios, os rios não teríamos água para beber… Por isso, que e muito importante cuidarmos deles. Afinal o que a gente quer depende do que a gente faz! Pâmela Andressa Pereira, 12 anos.

Podemos melhorar a qualidade das águas ligando os esgotos de nossas casas na canalização que vai passar em 22 bairros.  Uma estação vai ser instalada no bairro Mônaco. Temos também que plantar mais plantas na beiradas dos arroios porque está faltando mata ciliar. Vinicius S. Oliveira

Mapa dos bairros que terão coleta de esgoto

Mapa dos bairros que terão coleta de esgoto

 

Hoje com a turma 22 fomos em lugares cheios de água , fomos no arroio Schmidt e no rio dos sinos para tirar fotos e para lembra como o rio estava seco da ultima vez , o rio estava quase encostando nas casas , os moradores botaram uma lona para não acontecer a erosão , no caminho vimos tartarugas e tiremos algumas fotos de todos os lugares que passamos. Por ali havia muito lixo . Pense bem antes de jogar lixo nós rios e arroios ! Larissa Martins, 16/09/2014

Arroio Schmidt na Rua João Goulart

Arroio Schmidt na Rua João Goulart

 

Sub-bacia nº 11- Arroio Schmidt

Esta sub-bacia contribui diretamente ao Rio dos Sinos e compreende uma área de 32,20 km², apresenta relevo fortemente ondulado e elevado em sua maior parte norte e oeste. A drenagem é realizada basicamente pelo Arroio Schmidt. O Arroio Schmidt está situado à leste, quase no limite da sub-bacia, e deságua diretamente no Rio dos Sinos.

Destaca-se como fator importante nesta sub-bacia a localização de praticamente toda a zona urbana de Campo Bom. A presença de zonas densamente urbanizadas e das atividades industriais resulta no uso dos recursos hídricos para lançamento, diluição e afastamento de efluentes domésticos e industriais.

 

Arroio Weidler

O Arroio Weidler tem sua nascente na porção norte do município de Campo Bom. É um afluente do Arroio Schmidt, com uma extensão de, aproximadamente, 3.440m. O Arroio Weidler foi retificado e canalizado (tem licença ambiental). Praticamente todo o espaço que lhe sobrou para margem e leito está encoberto por uma vegetação rasteira que encobre suas águas escuras e com aspecto de esgoto, o índice de qualidade de água é considerada RUIM.

Coleta de macroinvertebrados no arroio Weidler

Coleta de macroinvertebrados no arroio Weidler

 

O Arroio Quatro Colônias

Arroio Colônias tem uma extensão aproximada de 5 100m. É um afluente do arroio Schmidt. Nasce no município de Dois Irmãos. Tem um afluente que também nasce no município de Dois irmãos e junta-se a este antes da RS 239. É um arroio com vários problemas como efluentes domésticos, industriais que escurecem suas águas, falta de vegetação ciliar em alguns pontos, resíduos sólidos nas margens e leito, assoreamento, erosão das margens. Apesar de todos esses problemas, em alguns pontos é possível encontrar águas quase transparentes, mas também é visível a ação antrópica de uma semana para outra.

Em direção a foz, entre as ruas Tomé Paz e Voluntários da Pátria, observa-se um campo onde se cria gado. A presença de resíduos sólidos neste local é apenas no leito do arroio. A erosão já começa a aparecer principalmente na margem direita.

Tem sido comum o lançamento de resíduos sólidos diretamente nos cursos d’água ou nas suas margens, o que acarreta a degradação dos arroios e rios e o comprometimento da qualidade de vida da população exposta. Os sólidos, acumulados nos córregos e nas proximidades das casas, servem de abrigo para várias espécies de seres vivos, como ratos, baratas, mosquitos, etc, e estes podem transmitir doenças. Neste trecho, também se observa o assoreamento do arroio. Os sedimentos que se acumulam no arroio reduzem a capacidade e a velocidade de escoamento da água, a vegetação ciliar é escassa, ocorre também a retirada manual de areia.

Arroio Quatro Colônias

Arroio Quatro Colônias

Arroio Goethel

O arroio Goethel é um dos menores arroios de Campo Bom. Em termos de quantidade de água, poderia se chamar de sanga Goethel. Está localizado no Bairro Mônaco com nascente e foz no município de Campo Bom, com uma extensão aproximada de 3 000m,  localizado na zona rural. Em seu leito corre águas translúcidas. Em boa parte de suas margens, encontramos vegetação ciliar e não se observa presença de resíduos sólidos tanto nas margens quanto em seu leito. Sua nascente é próxima à Usina Municipal de Reciclagem. Pode-se dizer que este é um arroio que conserva suas características naturais, pois quase não sofreu ação do homem.

Monitores do Dourado no Arroio goethel

Monitores do Dourado no Arroio Goethel

Arroio Leão (Arroio Campo Bom)

O Arroio Leão ou Arroio Campo Bom tem sua nascente e foz no município de Campo Bom, com uma extensão de, aproximadamente 6 010m. Tem sua foz junto ao Rio dos Sinos. No bairro Quatro Colônias, o Arroio Leão tem um trecho canalizado. Após a canalização, na pracinha do bairro Quatro Colônias, observa-se alguns problemas que este enfrenta ao longo do seu curso. Suas águas já apresentam característica de esgoto e em suas margens encontramos apenas grama. A falta de uma vegetação mais resistente faz com que suas margens comecem a sofrer processos erosivos.

Foto de 2004 do Arroio Leão

Foto de 2004 do Arroio Leão

 

Seguindo o leito do arroio, observa-se erosão das margens eassoreamento. Estes afetam o escoamento da água, resultando no extravasamento destas na época das cheias que em condições naturais não ocorreria. Toda a biodiversidade pode ser afetada. Daí a importância da vegetação ciliar junto aos arroios para fazer a filtragem de nutrientes e sedimentos, controle de erosão mantendo assim o ambiente em equilíbrio. É necessária a sensibilização e ajuda da comunidade local para a preservação dos arroios e rios. Descendo o arroio até sua foz, junto ao Rio dos Sinos, não apresentam maiores problemas além dos já existentes visto que passa por uma área de campo.

Plantio no arroio Leão, terras do seu Lauro

Plantio no arroio Leão, terras do seu Lauro

Realizamos uma coleta de macroinvertebrados bioindicadores de qualidade de água no Arroio Leão no dia 28/08/2014, no Bairro Mônaco, próximo a ponte na rua Leão XII. Encontramos apenas Chironomidae (são larvas de mosquitos) que são animais tolerantes a poluição.

Thomas coletando macroinvertebrados

Thomas coletando macroinvertebrados

Sub-bacia nº 12- Arroio Leão (Campo Bom)

A sub-bacia nº 12 contribui diretamente ao Rio dos Sinos e compreende uma área de 34,00km², apresentando relevo ondulado bastante acidentado, principalmente em sua porção central. A drenagem é realizada pelo Arroio Leão, que tem sua nascente ao norte da sub-bacia e deságua diretamente no Rio dos Sinos, após a contribuição de outros cursos d’água menores.

Parte da zona urbana de Sapiranga localiza-se nesta sub-bacia, encontrando-se atividades industriais, inclusive curtumes. Em área de nascente de cursos d’água, a sub-bacia apresenta expressivo processo de desmatamento.

Arroio Pampa, Peri ou Feltes

O Arroio Pampa percorre as cidades de Dois Irmãos, Campo Bom e Novo Hamburgo, Tem sua foz no Rio dos Sinos.

O Arroio Pampa tem uma extensão aproximada de 1080m, no município de Campo Bom. Este arroio, no decorrer dos tempos, vem sofrendo pela ação antrópica. Parte da população despeja seus resíduos nas margens ou mesmo direto no arroio, transformando-o em um grande canal de esgoto, dificultando o escoamento da água e aumentando a proliferação de ratos, baratas, mosquitos, entre outros.

Os principais impactos do Arroio Pampa no trecho de Campo Bom são os depósitos de lixo, o esgoto, falta de mata ciliar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s