EcoWeb+EcoAction

Rede Municipal de Ensino – Campo Bom RS

Flora

A vegetação nas margens dos rios, arroios, córregos, lagos, represas e nascentes, serve como um manto protetor impedindo que a chuva caia diretamente no solo, evita a erosão das margens dos rios e arroios, evita assoreamento dos arroios e rios,  seus frutos servem de alimento para aves, peixes e outros animais,retém lixo, como garrafas descartáveis, sacolas plásticas, restos de couro, etc; Serve de moradia para muitos animais.

“Em princípio, árvore alguma necessita de poda. Se necessitasse, todos os bosques naturais se acabariam sozinhos. Quanto mais livremente uma árvore consegue desenvolver-se, mais bela e sã ela será” Lutzenberger

Ao plantar uma árvore, devemos tomar alguns cuidados para evitar problemas futuros, levando em conta o espaço disponível, a rede elétrica, a rede de água e esgoto, a calçada, muros e prédios, etc. Devemos dar preferência às espécies nativas de pequeno e médio porte. Conheça algumas espécies pesquisadas pelos alunos Eco Web

Ipê Rosa

Foto feita por um aluno- Ipê da EMEF 25

Foto feita por um aluno- Ipê da EMEF 25

Hoje saímos para observar algumas árvores, entre elas o Ipê. Esta é uma árvore que fica realmente encantadora na estação da primavera quando surgem suas flores, além disso, é de extrema importância, pois é um dos elementos contribuintes nas formações climáticas e a espécie é muito procurada devido as excelentes qualidades de sua duríssima madeira, considerada de lei.
Reproduz-se como pioneira em capoeiras, ajudando na evolução desses ecossistemas.

Também é considerada uma planta medicinal, sendo capaz de cicatrizar infecções externas, úlceras, diabetes e câncer, tendo também efeito analgésico, sendo uma das árvores nativas mais estudadas sob o aspecto da medicina e com resultados comprovados.
A vagem se abre e as sementes voam, sendo chamadas sementes aladas. As sementes têm que ser logo plantada após a colheita, pois se demorar elas não serão mais capaz de germinar. (Germinação de 6 à 12 dias.)
Tem grande porte, podendo atingir até 35m de altura. Sua casca é parda e grossa, e suas flores podem ser encontradas em colorações variadas, como roxas, rosadas ou esbranquiçadas. É muito   usadas como ornamental em praças, canteiros e calçadas.

Muda de Ipê rosa

Muda de Ipê rosa

Carrapichos

É uma planta cheia de espinhos, que gruda facilmente em roupas e animais. Esta nada mais é do que uma estratégia para poderem largar suas sementes em outros lugares, muitas vezes porque o lugar onde eles viviam pegava pouco sol ou que não tinha muitos nutrientes no solo, ou até mesmo porque se permanecessem no mesmo lugar da carrapicheira-mãe elas acabariam competindo por luz, água e outras coisas. Sucesso, na natureza,  pode ser medido pela quantidade de descendentes espalhados pelo mundo.

Carrapicho

Carrapicho

Nome científico do carrapicho é  Xanthium Strumarium. O carrapicho é distribuído em todo mundo. É uma planta daninha na Austrália, Índia, África do Sul, e nas Américas. Se reproduz em áreas abertas, especialmente as áreas sujeitas a inundações com boa umidade do solo, mas ela é encontrada em uma grande variedade de habitats, estradas,  pequenos córregos e margens de rios, bem como as bordas de lagoas e  pastos exauridos. Ele não tolera sombreamento.

Carrapicho

Carrapicho

Sementes que crescem ao redor da carrapicheira-mãe podem competir por espaço, luz, água…

alunos fotografando carrapichos em área de banhado.

Alunos fotografando carrapichos em área de banhado.

Quase todas as plantas têm um jeito de espalhar as sementes. O carrapicho gruda em alguém para nascer em outro lugar.

Araçá

O araçá e uma planta que se adapta ambientes secos e também em área de banhado ele é também uma planta de pequeno porte e bastante cultivada em função dos seus saborosos frutos que variam de amarelo a vermelho, ficam maduros na primavera e no verão, com polpa de cor creme a esbranquiçada, suculenta, de sabor e aspecto semelhante à goiaba e com muitas sementes. Eles também são muito procurado pelos animais que se encarregam de espalhar as sementes.

Ela é bastante usada para paisagismo, pois é uma planta pequena e muito bonita. É uma espécie indicada para plantio em áreas degradas, úmidas com a finalidade de preservação permanente. A casca solta-se em placas deixando o tronco com aspecto malhado, de cores bege ao castanho claro. Se você quiser cultivá-la tire a polpa do fruto passe em uma peneira com água e retire as sementes. Imediatamente plante-as, pois as sementes secam se você deixar elas sem plantar. Luana Rech e Bruna Mariana Gonçalves –  7º ano

DSCF2858

Maricá

O maricá é uma árvore pioneira, é bem importante para recuperação de áreas degradadas sujeitas à inundação. Pode ser cultivada também em áreas de gradadas, drenadas ou pedregosas.

DSCF2175

Os maricazais são muito comuns em terras baixas alagáveis as várzeas. Age como, especialmente nas áreas  de antigos arrozais. Espécie importante ecologicamente é também excelente melífera. Pode servir como cerca-viva, fornece boa lenha e carvão por isso sendo muito procurada pelas pessoas que vendem lenhas. Os brotos são usados medicinalmente contra asma, bronquite e febre. É importante fornecedora de mel.

IMG_0454

Propaga-se por sementes ou por estacas. Espécie indicada para recuperação de áreas degradadas sujeitas a  inundação. pode ser cultivada em áreas degradas, drenada ou pedregosas.

Papiro

A planta Papiro  é da família cyperaceas. É uma planta de grande efeito ornamental, quando cultivada a beira de lagos, espelhos d’água em pleno sol onde possa contar com a umidade permanente. Pouco sensível a baixas temperaturas, multiplica-se pela divisão de touceiras, cada planta tem um pedaço de rizoma. O papiro também foi utilizado para a fabricação de cestos e redes, era também utilizado como alimento pelas pessoas mais pobres e também para alimentar o gado.

DSCF2188

No Egito Antigo, o papiro ele era encontrado nas margens do rio Nilo. A planta  foi muito utilizada pelos egípcios. As folhas do Papiro elas eram sobrepostas e trabalhadas para serem transformadas numa espécie de papel conhecido também pelo mesmo nome da planta. Este papel era utilizado pelos escribas egípcios para escreverem textos e registrarem contas do império. Vários rolos de folhas de papiro, contavam toda a vida dos faraós e essas folhas eram guardadas nas pirâmides. Fernanda Letícia zügel- 9º ano

Aroeira-vermelha

É provavelmente a aroeira mais comum. É encontrada em praticamente todos os ambientes: desde solos secos e pedregosos, dunas ou em até banhados, quase como planta aquática. Seu aspecto varia muito em função de sua adaptação a esses variados ambientes. Pode ser arbustos rasteiros e retorcidos ou uma árvore com copa globosa. Seus frutos são vermelhos, é bastante cultivada como árvore ornamental, no Brasil e em outros países. No sul dos Estados Unidos, na Flórida, tornou-se uma terrível invasora dos banhados, sendo proibido seu plantio.

DSCF2866

Folhas, casca e frutos são usados na medicina popular, à casca também é usada em curtumes, e a madeira pesada, bastante resistente, é usada na confecção de moirões e fins energéticos. Os frutos são utilizados como condimento em substituição à pimenta-do-reino

Seus frutos são muito apreciados pelos pássaros e formigas. É também excelente melífera polinizada por diferentes abelhas. Propaga-se por estaquia de ramos finos e raízes. Pioneira agressiva que ocupa rapidamente os espaços disponíveis pela ampla dispersão de seus frutos que são muito apreciados pelos pássaros.

Açoita-cavalo

Muda de açoita-cavalo

Muda de açoita-cavalo

Espécie emergente nas florestas ribeirinhas. A madeira pode ser usada para confecção de móveis, saltos de calçados e construção de casas. Suas lindas flores de diversas tonalidades são muito visitadas pelos insetos e beija-flores. O seu reconhecimento é facilitado por suas folhas de duas cores, verde-escuras na face superior e branca na inferior, bem como por seus frutos virados para cima.

DSCF3115

Espécie adaptada a terrenos com solos pobres, recomendada para controle de voçorocas (erosão profunda), replantio e enriquecimento de florestas ribeirinhas, em rios lagos ou reservatórios. E uma espécie pioneira de boa regeneração natural. Reproduz-se por sementes, colher os frutos quando estiverem com a cor verde passando para marrom-claro e as extremidades iniciando a abertura. Semeadura em canteiros. Germinação ocorre entre vinte a quarenta dias.  Mariane Rossini Nunes

Um pensamento sobre “Flora

  1. E a Corticeira? Eu ouvi falar que ela também é típica do banhado. Será que é? Vou aguardar pesquisa, sou do Rio de Janeiro e tenho aqui uma árvore que ganhei a muda que veio do Rio G do Sul. Ela está bem, e até floresce e gera favos de sementes que parecem feijões.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s