EcoWeb+EcoAction

Rede Municipal de Ensino – Campo Bom RS

Flores Comestíveis

Algumas espécies de plantas produzem flores que podem ser usadas na alimentação. Algumas das plantas que têm flores comestíveis são conhecidas por nós e usadas em saladas, sopas e outros pratos de culinária, como a couve flor, o brócolis e alcachofra. Outras flores, porém, podem ser usadas para comer, são lindas e possuem sabor surpreendente. Calêndulas, por exemplo, têm um cheiro forte. O amor perfeito um gostinho de ervas. Sem dúvida, as flores são elementos interessantes para renovar antigas receitas. É preciso ter muito cuidado, algumas flores podem ser tóxicas. Antes de sair por ai colhendo flores e utilizando na alimentação é preciso conhece-las. As flores comestíveis devem ser orgânicas, as produzidas em floricultura são tratadas com pesticidas. Confira no link uma reportagem sobre flores comestíveis http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2013/03/aprenda-fazer-receitas-combinando-tipos-diferentes-de-flores-comestiveis.html

Todas as flores são comestíveis?

Todas as flores são comestíveis?

Nome popular- Cravo ou Cravina

Cravina

Cravina

Nome científico: Dianthus caryophyllus . A cravina é uma planta herbácea perene, originária da Europa, com 30-90 cm de altura.  Propagação por sementes postas a germinar no fim do verão. Uso culinário. Separe as pétalas e remove o carpóforo, branco e amargo. Pode-se utilizá-las frescas para aromatizar vinhos, vinagres, geleias, compotas, saladas e cristalizadas podem ser utilizadas em tortas de frutas, sanduíches e como ornamentação de bolos.

Nome Popular- Abutilon, brinco-de-princesa, lanterna-chinesa.

Foto feita pela aluna Pâmela

Foto feita pela aluna Pâmela

Nós do Eco Web achamos a flor brinco-de-princesa ou abutilon, na rua João Goulart, na calçada em frente a uma casa rústica. Nós achamos duas espécies, mas as duas são Abutilon, nós conversamos sobre ela, fotografamos. Ela é muito linda eu e meus colegas adoramos ir conhecer a flor. Eu agradeço a professora Margarida por me ensinar o estudo biológico.  Pâmela Gabrielli Sager Gressler

Nome científico: Abutilon striatum Arbusto semilenhoso originário da Guatemala de 2 a 3m de altura. Multiplica-se por estacas, preparadas no final do inverno. Uso Culinário: As flores podem ser servidas em saladas mistas com outros vegetais, para ornamentação de pratos e bolos. Os estames devem ser retirados para evitar alergias em pessoas alérgicas a pólen. Todos os espécimes do gênero Abutilon podem como comestíveis.

Nome popular- Calêndula ou Bonina

DSCF0139 A calêndula é uma flor comestível Se reproduz por sementes. Plantamos as sementes compradas e não germinaram. As sementes que caíram das mudas de flores que compramos e plantamos estão nascendo. Na medicina a calêndula como boa cicatrizante de feridas. Na culinária a calêndula é muito usada como enfeite em saladas e nas coberturas doces e salgadas. Só podemos usar as pétalas porque tem pessoas que tem alergia a pólen e podem ficar com coceiras e bolotas no rosto.  Pâmela Gressler

Nome científico: Calendula officinalis Herbácea anual, florífera, ereta, de originária das Ilhas Canárias e região Mediterrânea, com 30-50 cm de altura. Multiplica-se por sementes que devem ser semeadas no outono para florescerem no inverno e primavera. Uso culinário Podem ser utilizadas como enfeites de saladas, coberturas salgadas, doces, para decoração de bolos e sobremesas. A cor intensa das lígulas dá um tom de açafrão a pratos de arroz e a sopas de peixe. Oferece paladar picante. Deve-se ser usadas apenas as pétalas para evitar alergias em pessoas sensíveis ao pólen.

 

Nome popular- Capuchinha, Capuchinho, Chagas, Nastúrcio

Capuchinha

Nome científico: Tropaelum majus L. Herbácea prostrada, anual ou bienal, originária do Peru e do Brasil, de 30-40 cm de altura. Flores vistosas, simples ou dobradas, amarelas, alaranjadas ou vermelhas, formadas na primavera até o verão. A propagação é feita por sementes, postas a germinar no outono direto no local.

Uso culinário: os frutos têm sabor picante e podem ser usados para picles. As flores têm sabor picante e odor característico, semelhante ao da planta. Tem sido difundido seu uso em saladas e enfeites de pratos doces e salgados, omelete, refogados, no arroz, e purês. Recomenda-se, porém que suas partes com pólen sejam retiradas para evitar alergias em pessoas sensíveis.

Nome Popular-Begônia

Begônia

Begônia

Nome científico: Begonia semperflorens.  A begônia é uma planta herbácea, nativa do Brasil, de 15-30 cm de altura, cultivada como anual Multiplica-se por sementes e por pedaços de caule com ou sem raízes em qualquer época do ano. Uso culinário: Suas flores podem ser usadas nas saladas, em arranjos e sobre coberturas.

Nome popular-Boca-de-leão

DSCF8394

Nome científico: Anthirrinum majus

Planta herbácea, originária da região mediterrânea, de 60-70 cm de altura. Multiplica-se por sementes postas a germinar no outono, floresce no inverno e na primavera. propaga-se por sementes. as flores são produzidas em diversas cores.

Boca-de-leão

Boca-de-leão

Uso Culinário: Suas flores podem ser usadas na salada, com sabor levemente amargo.

 

Nome popular -Amor-perfeito

DSCF2863

Nome científico: Viola tricolor . O amor-perfeito é uma planta  herbácea, perene, originária da Ásia e Europa, de 15-20 cm de altura. Formada por flores solitárias, que apresentam vasta gama de tons. Floresce no inverno e primavera. Multiplica-se por sementes. A partir de abril, conforme a localidade já é possível semear em caixotes, transplantando até o início do florescimento. O local de cultivo deve ser ensolarado.

Uso culinário: pode ser usada para decoração de bolos e sobremesas, pode ser cristalizada, congeladas em cubos de gelos para ornamentar refrescos e drinques. Recomenda-se, porém que suas partes com pólen sejam retiradas para evitar alergias em pessoas sensíveis.

Nome popular-Violeta

DSCF7658

Nome científico: Viola odorata . Planta herbácea perene, com 20-25 cm de altura. Com florescimento na primavera. É cultivada como ornamental. Cresce em solo fértil e a meia sombra. Originária do continente europeu, África e Ásia ocidentais.

Uso culinário: as flores podem ser utilizadas em saladas, no arroz ou cristalizadas para decorar bolos, sobremesas e sorvetes.

Nome popular- Flor-de-maio

DSC02153

Nome científico: Schlumbergera truncata . Cactos sem espinhos, floresce aproximadamente no mês de maio, flores grandes de diversas cores, com forma que lembram um camarão, cultivada como ornamental, nativa do Brasil.  Multiplica-se por estacas. Não necessita de muito cuidado e como todos os cactos não gosta de muita água, apenas no verão precisa de água regularmente.

Uso culinário: Suas flores como a de todos os cactos, podem ser consumidas, retirar os estames para evitar alergias em pessoas sensíveis ao pólen.

DSCF3113

Nome popular- Rosa

rosas-2

Planta lenhosa de origem asiática,  com 1 – 2 metros de altura. Cresce em solo argiloso e calcário com baixa umidade. Considerada a rainha das flores. Multiplica-se facilmente por estacas, cortadas após o florescimento, que ocorre da primavera ao outono. Os Romanos acreditavam que as rosas brancas se transformaram em vermelhas quando Júpiter encontrou Vênus tomando banho e esta enrubesceu. Com flores de muitas cores e de número variado de pétalas, conhecida no mundo inteiro.

Uso culinário: as pétalas podem ser consumidas em salas, cristalizadas, as flores inteiras podem adornar bolos de festas.  O cuidado na com a procedência é necessário. Evitar consumo dos estames que  podem causar alergias em pessoas sensíveis ao pólen.

Alunos fazendo pesquisa sobre flores comestíveis

Alunos fazendo pesquisa sobre flores comestíveis

O material sobre flores comestíveis tem a colaboração  dos alunos do Projeto Eco Ação, das biólogas Margarida Telles de Campo Bom e Andrea Oberherr de Sapiranga.

Bibliografia: Revista Globo Rural disponível em revistagloborural.globo.com.  Ervas Aromáticas e Plantas Medicinais. Ed. Impala. São Paulo.  2004. Segredos e Virtudes das Plantas Medicinais. Reader’s Digest Brasil. 1999. índice Terapêutico Fitoterápico – Ervas Medicinais. 1ª ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: EPUB, 2008. Guia de produção para plantas medicinais, aromáticas e flores comestíveis de iriam Stumpf Morelli.

Anúncios

23 pensamentos sobre “Flores Comestíveis

  1. Oi, Super interessante Pamela. faz tempo q procurava este tipo de informacao. tem mais flores pesquisadas ou receitas?. gostaria montar um pequeno viveiro para abastecer um local com comidas organicas. tem algum modelo de projeto? a parte de infraestrutura, manejo e custo de implementacao? Obrigado.

    • Olá Carlos que bom que você achou interessante nosso material sobre flores comestíveis. Estamos ainda montando nosso material, postamos mais algumas flores e bibliografia, após teu comentário Obrigada.

  2. Meus caros amigos. sua labor e’ maravilhosa. obrigado por me deixar fazer parte dos seus conhecimentos. Grato.

  3. olá boa noite,gostaria de alguma informação de onde posso comprar sementes de flores comestíveis,pois sou estudante de gastronomia e muito me interesso. abraços!!!!!

    • Olá, compramos em mercados aqueles em pacotinhos pequenos. Nem todos nasceram. A calêndula como as sementes não nasceram compramos mudas e logo que as flores secavam as sementes caiam e germinavam e já conseguíamos novas plantas no mesmo ano. No caso da boca-de-leão as sementes que caíram na terra das flores do ano passado germinaram este ano e as plantas são maiores e florescem muito mais que as “originais”. Obrigada Abraços

  4. Boa tarde,hoje vi em terreno baldio as flores Capuchinha as folhas de um verde lindo as flores alaranjadas ,peguei uma flor p/ ter certeza entrei no gugo,estva la´a capunhinha éra ela e mais tantas comestiveis muito obrigada abraços

  5. obrigada pela pesquisa de vcs, me ajudou muito no dever de casa da minha filha

  6. Adorei esta página sou estudante do curso de administração e estou pesquisando sobre horta organica.

  7. Olá! Parabéns pela matéria. Gostaria de saber se vocês possuem dados a respeito dos benefícios proteicos e vitamínicos de cada flor citada. Grato.

  8. Adorei o trabalho, que ha muito tempo tinha a curiosidade de saber, afinal quais seriam as flores comestíveis. Muito interessante a pesquisa e super orientadora para nós, leigos. Obrigado. Vou entrar agora no Projeto Ecoweb. Parabéns.

  9. Grata por compartilhar essas informações, tenho várias dessas plantas no jardim. 🙂

  10. gostei muito da aula sobre flores comestível gostaria de saber mais sobre este assunto. para poder usaras flores com alimento muito importante .? termos um jardim e uma rota juntos o brigada pela aula que nos deu ???

  11. Oii, essa flores são as mesmas flores que temos no fundo do quintal, ou temos que comprar mudas especificas de flores comestíveis?

    • Olá Suélen
      Se as flores que você tem no quintal da sua casa são das espécies que indicamos no blog podem ser usadas na alimentação. É como se plantássemos alface, salsinha… A partir de sementes próprias.

  12. A capuchinha é rica em vitamina C, e é também antidepressiva, combate depressão.

  13. Excelente formação! Muitas flores podem ser comestiveis, maravilha.

  14. ola!Boa tarde! Estou fazendo em artigo cientifico sobre flores comestíveis e amei o projeto de vocês, estou tentando desenvolver um glossário de flores comestíveis e me inspirei muito na postagem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s